12 de julho de 2024Informação, independência e credibilidade

Tag: Braskem

Crime da Braskem, a OEA, o povo de Maceió e o ‘segue o baile’

Crime da Braskem, a OEA, o povo de Maceió e o ‘segue o baile’

Blog, Marcelo Firmino
É impressionante a omissão e o descaso da sociedade maceioense com a parte da cidade destruída pela Braskem. É impossível não se entristecer com o cenário chocante dos bairros atingidos. Quem passa nos trechos de ruas, ainda não bloqueados, e não se sensibiliza com o ambiente trágico é porque é desprovido de sentimentos. Infelizmente, a sociedade e suas instituições se mantêm no mais absoluto silêncio em meio ao mundo de horror causado em Maceió, em nome dos interesses do capital. A história da destruição não se apagará jamais. Mas, ainda assim, o maceioense parece não estar nem aí para o crime ambiental que destruiu patrimônios, sonhos e vidas nos bairros afetados. É como se a sociedade torcesse a cara com a desculpa do “não aconteceu comigo”, na mais alta exposição do ego
Lá como cá nunca é demais repetir: a tragédia com mortes não é obra do acaso

Lá como cá nunca é demais repetir: a tragédia com mortes não é obra do acaso

Blog, Marcelo Firmino
Se no passado a ignorância não permitia absorver os efeitos climáticos com consequências desastrosas para o meio ambiente e a vida de modo geral, hoje com a ciência e a tecnologia alertando, diariamente, só não vê quem não quer. A tragédia do Rio Grande do Sul e, tantas outras já verificadas no País, tal como em Alagoas, em 2010, são consequências reais do desrespeito do homem com a natureza. Desrespeito em nome da ganância e do lucro que interessa as elites econômicas. Lá no bioma dos pampas gaúcho, a natureza foi colocada em segundo plano, em nome dos interesses capitais dos líderes do agronegócios. Não muito diferente do que aconteceu e acontece com restingas e reservas da mata atlântica alagoana. Imagine como a especulação imobiliária avançou dentro do litoral norte ala
Renan Calheiros diz que parecer de agência contra Braskem é ‘gravíssimo’

Renan Calheiros diz que parecer de agência contra Braskem é ‘gravíssimo’

Blog, Marcelo Firmino
O senador Renan Calheiros (MDB), que requereu a instalação de uma CPI no Senado para investigar o crime da Braskem em Maceió, considerou como "gravíssimo" parecer da Agência Nacional de Mineração (ANM), que acusa relatórios duvidosos da empresa sobre a tragédia alagoana. De acordo com o senador, o parecer da agência revela "erros, imprecisões e defasagem sobre o estado das 35 cavernas" da Braskem no subsolo maceioense. Calheiros se manifestou pelo X (antigo Twitter). E o mais grave, segundo ele, é que ANM aponta ainda riscos de novos colapsos, considerando que fortes indícios de movimentos preocupantes dentro das minas próximas a de número 18, que colapsou no Mutange, que é um dos 5 bairros atingidos pelo crime ambiental, que afetou as vidas de 60 mil maceioenses. Depois de tu
Banqueiros avisam que não querem CPI da Braskem, criada pelo senador Renan

Banqueiros avisam que não querem CPI da Braskem, criada pelo senador Renan

Blog, Marcelo Firmino, Política
Os bancos credores da Novonor (antiga Odebrecht) estão em pé de guerra com o senador Renan Calheiros (MDB) por conta da Braskem. Ou seja, a CPI que o senador articula para investigar os estragos que a mineradora fez em Maceió não interessa aos banqueiros, segundo apurou a revista Veja. A questão é que cinco bancos receberam ações da Braskem, como garantia dos empréstimos feitos à Novonor. E esta é uma operação que os banqueiros querem manter sob sete capas. Uma CPI agora no Senado para investigar a Braskem deve expor as minas do desastre ambiental na capital alagoana e, naturalmente, o caminho do dinheiro percorrido pelos bancos. Para os banqueiros, a CPI criada por Calheiros tende a ser um "espetáculo" de desvalorização de suas ações. É a velha pressão do poderoso merca
Braskem gerou prejuízo de R$ 30 bi em Alagoas, diz secretária da Fazenda

Braskem gerou prejuízo de R$ 30 bi em Alagoas, diz secretária da Fazenda

Blog, Marcelo Firmino
Em entrevista ao portal Metrópoles, a Secretária da Fazenda de Alagoas, Renata Santos, declarou neste domingo, 10, que estudos encomendados pelo governo alagoano revelam que os prejuízos causados pela Braskem ao Estado chegam a R$ 30 bilhões. Os estudos envolvem estimativas dos impactos do crime ambiental da Braskem na capital alagoana, que destruiu 6 bairros com mais de 60 mil pessoas atingidas de forma dramática pela mineração desenfreada. A secretária listou perdas de toda ordem elencadas no estudo, que abrangem desde perdas do patrimônio físico do estado, caso de escolas e equipamentos de saúde, a danos individuais e coletivos que traumatizaram famílias, impactaram a saúde de milhares de pessoas e atentaram contra a estabilidade socioeconômica de comunidades inteiras. Renata
Não há anjos, nem santos no crime da Braskem: só muita gente cara de pau

Não há anjos, nem santos no crime da Braskem: só muita gente cara de pau

Blog, Marcelo Firmino
Maceió não merece tamanha agonia e tristeza por conta de um crime sem precedentes em sua história de  mais de 200 anos. Não custa lembrar que lá, no final dos anos 70,  houve resistência por parte de ambientalistas liderados pelo professor José Geraldo Marques, da Universidade Federal de Alagoas, contra a instalação da planta da Salgema, primeiro nome da fábrica, na restinga do Pontal da Barra. Naquele momento imaginava-se que o bairro do Trapiche estava abrigando uma bomba dentro da cidade e que a qualquer momento explodiria com alto teor de destruição. Foram muitos os debates  e alertas feitos aos governantes, mas os resistentes foram ignorados e, tal como hoje, chamados de "comunistas". Não foram poucas as manifestações e atos realizados pelo Movimento Pela Vida, criado den
Colapso da mina 18 pode, enfim, instalar a CPI da Braskem no Senado

Colapso da mina 18 pode, enfim, instalar a CPI da Braskem no Senado

Blog, Marcelo Firmino
O colapso da mina 18 no bairro do Mutange, em Maceió, deve acelerar a composição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado Federal, que foi proposta pelo senador Renan Calheiros (MDB), em meados de outubro. A CPI está travada desde que foi aprovada, por que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD) não deu sequência ao rito de composição da comissão. Pacheco chegou a fazer a leitura do requerimento da CPI, mas não deu seguimento a instalação formal. Falta também disposição dos líderes partidários para a indicação dos membros da comissão. Já o senador Renan Calheiros tem afirmado que está atuando em várias frentes para responsabilizar a Braskem pelo maior crime ambiental urbano do mundo. Um crime que traumatizou mais de 60 mil pessoas de 5 bairros e agora está
Ganhos e lucros na terra arrasada pela Braskem, fazem do ser humano um detalhe

Ganhos e lucros na terra arrasada pela Braskem, fazem do ser humano um detalhe

Blog, Marcelo Firmino
O novo mundo é tóxico. Quando as pessoas tremem é de pavor. Quando a terra treme é de tristeza e revolta pela agressão que sofreu. Maceió sente isso, diante da inércia de grande parte das autoridades. Aliás, no novo mundo não existem mais autoridades. Talvez "otoridades". No ritmo que vai já não se sabe se ainda existem países. A certeza que prevalece é a da atividade econômica, que gera ganhos e lucros para poucos. E nessa história da atividade econômica, bancada pelos poderosos, o ser humano é apenas um detalhe... Os exemplos são muitos. Em nome do lucro o Senado Federal fez esta semana o liberou geral do veneno nas plantações do agronegócios. Mas, o caso ainda mais escabroso na estrada dos lucros e ganhos, pavimentada pela insensibilidade e a insensatez dessa gente sórdi
Dor e morte no dia da triste lembrança dos 5 anos do crime da Braskem

Dor e morte no dia da triste lembrança dos 5 anos do crime da Braskem

Blog, Expresso, Marcelo Firmino
Na passagem dos 5 anos do maior crime ambiental do mundo, provocado pela mineradora Braskem em Maceió,  a dor e a morte se fazem presentes. Neste dia 3 de março houve manifestação de protesto na avenida Fernandes Lima, diante da triste lembrança do crime que provocou afundamentos no solo de cinco bairros da cidade. Mas, mais grave ainda, foi a morte de Ronaldo Cavalcante, policial civil, que, exatamente, nesta data foi visitar a casa em que nasceu, morou e criou a família, no bairro do Pinheiro. Ronaldo cometeu o suicídio em frente a casa que morava naquele bairro. Foi o 12º caso de pessoas do Pinheiro que entraram em depressão e acabaram buscando a morte. Apesar de tudo isso, a Braskem, mineradora, senhora dos mercados financeiros, se mantém impune, com a conivência de aut
Chega a ser desaforo, a Braskem destruidora de vidas, no Big Brother Brasil

Chega a ser desaforo, a Braskem destruidora de vidas, no Big Brother Brasil

Blog, Marcelo Firmino
  O fato de  ainda não ter conseguido me encaixar como telespectador de um programa como Big Brother Brasil (TV Globo) faz-me um ser, não visão de uns, ultrapassado. Mas, talvez por ter nadado em leito de rio sereno, ainda jovem, tenha agora a noção do sentido da própria existência. Assim, nem tudo que é festa de arromba, aos olhos de outros, me atrai. É possível que o avanço existencial, cultural e ético do programa BBB esteja mesmo fora do meu alcance. Então, deixa estar. No entanto, o que não pode esperar é a indignação alagoana contra a Braskem, patrocinadora desse programa de grande audiência. Chega a ser um desaforo. A TV Globo se diz defensora da vida sustentável, do meio ambiente, entre outros tantos conceitos usados em sua programação, bem que poderia ter v