29 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Por Elas

Aquarela alagoana ganha espaço na capital Federal

Aos 24 anos, designer maceioense Lais Pedrita lança coleção de jóias a partir de suas aquarelas.

Aquarelas da alagoana Lais Pedrita resignificadas em jóias amuleto.

O Blog girou o olhar para Brasília nesta quarta-feira para falar da alagoana Lais Pedrita, 24 anos, que está se destacando no campo das artes plásticas da capital federal como expositora e curadora de exposições e intervenções urbanas. Seu mais novo trabalho pode ser conferido no Centro de Movimento Carolina Mercado – mais conhecido como CM2 – onde a artista convida o público a interagir com suas obras com o questionamento  “O que te faz sentir infinito?”

Quem aceita o desafio, está intimado a traduzir esse sentimento de infinitude com uma palavra, um lugar, uma lembrança, uma comida ou mesmo uma pessoa. “Cada ser é especial e carrega em si experiências e percepções sobre a vida que o torna singular. Compartilhe aqui a infinitude do seu ser (não se preocupe, ninguém vai saber que foi você que escreveu)”, convida Pedrita.

Há seis anos em Brasília, onde concluiu o curso de Design de Produto pela Universidade de Brasília, com graduação sanduíche pelo Programa Ciência sem Fronteiras na Universidade de Limerick, Irlanda, Pedrita aposta na produção independente para conquistar seu espaço na cidade construída pelo ícone da arte urbana, Oscar Niemeyer.

O mar de Maceió como inspiração

Uma das primeiras oportunidades abraçadas pela alagoana foi a exposição coletiva “Aquarela em Pequenos Formatos” no Espaço Cultural do Superior Tribunal de Justiça, ano passado, quando levou pinturas evidenciando a busca do feminino. Ainda em 2018, lançou sua primeira mini coleção piloto de colares em resina, utilizando algumas das ilustrações da exposição no STJ.

“Escolhi a artesã brasileiense Sabrina Bonfim, da Aflorar de Gaia, para transformar minhas ilustrações em jóias amuleto porque fiquei encantada com a sensibilidade dela e a habilidade com a qual ela manipula a resina”, justificou Pedrita. A parceria resultou em três coleções de peças exclusivas, sendo uma delas, denominada Panapa’ná (coletivo de borboleta), tendo sido lançada em Maceió.

 

 

Apesar de morar em Brasília, a designer e ilustradora está sempre com um pé em terras alagoanas e de olho nas feiras de produtos autorais mundo afora. Em tempo, a aquarela é uma técnica de pintura á base de água, que permite uma criação delicada, conferindo transparências e, ao mesmo tempo, algo saturado e forte.

Clique aqui para  conferir a diversidade do  trabalho da alagoana Laís Pedrita.