25 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Mundo

Covid: Mais de 5 milhões de crianças entre 5 e 11 anos são vacinadas nos EUA e nada grave aconteceu

CDC não identificou nenhuma preocupação com a inflamação temporária do coração conhecida como miocardite

Com quase 5 milhões de crianças de 5 a 11 anos agora vacinadas contra Covid-19 , o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Dr. Rochelle Walensky, diz que o monitoramento do mundo real descobre que as vacinas são seguras para crianças pequenas.

Crucialmente, o CDC não identificou nenhuma preocupação com a inflamação temporária do coração conhecida como miocardite, um efeito colateral potencial das vacinas de mRNA visto em raras circunstâncias em adolescentes e adultos jovens.

“Não vimos nada ainda”, disse Walensky à Correspondente Médica Chefe da ABC News, Dra. Jennifer Ashton, em uma rara entrevista pessoal na sede do CDC em Atlanta. “Temos um sistema de segurança de vacinas incrivelmente robusto e, portanto, se houvesse problemas, nós o encontraríamos.”

Leia mais: Pfizer entra com pedido na Anvisa para vacinar crianças
Pfizer diz que sua vacina contra Covid protege crianças de 5 a 11 anos

A vacina Covid-19 da Pfizer foi autorizada para crianças de 5 a 11 anos no início de novembro. Apesar dos dados de segurança robustos, menos de 1 em 5 crianças nesta faixa etária recebeu sua primeira dose.

Enquanto isso, cerca de dois terços dos pais de crianças do ensino fundamental disseram que não queriam vacinar seus filhos ou estão adiando por enquanto, de acordo com uma pesquisa da organização sem fins lucrativos KFF.

Walensky disse que, embora novos dados estejam surgindo constantemente, uma coisa é certa: as vacinas são seguras para crianças pequenas. “Se você quer que seus filhos sejam totalmente vacinados até o feriado, agora é a hora”, disse Walensky.

Com triste contraste, no Brasil diretores da Anvisa relataram ter recebido e-mails com ameaças de morte em caso de aprovação da vacina contra covid-19 para crianças. Também foram alvos de intimidações algumas instituições escolares do Paraná, segundo nota divulgada na pela agência brasileira.