16 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Justiça

Gilmar Mendes veta cultos em São Paulo e pauta será tema para plenário na quarta

O ministro Kassio Nunes, indicado por Bolsonaro para o STF, tinha liberado as celebrações presenciais

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes manteve o veto a cultos religiosos presenciais no estado de São Paulo, ao negar ação do PSD (Partido Social Democrático) que argumentava que o decreto baixado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), proibindo celebrações com presença do público, era inconstitucional por ferir a liberdade religiosa.

Mendes também enviou o caso ao plenário do STF para que o conjunto dos ministros examine o tema “com urgência”. A decisão dele vale para São Paulo. O colegiado decidirá se a regra vale para todo o país.

O presidente da Corte, Luiz Fux, já pautou o debate para a quarta (7).

Leia mais: Antes que Nunes ajude a matar mais fieis, STF pode vetar em plenário cultos e missas
Twitter deleta postagem com ameaças de Roberto Jefferson em seu “kit anti-satanás”

No sábado (3), o ministro Kassio Nunes Marques, indicado para o tribunal por Jair Bolsonaro, liberou os cultos presenciais. No domingo (4), vários templos abriram suas portas e ficaram lotados.

A decisão de Nunes Marques foi publicada no sistema do Tribunal no dia seguinte à sequência de dois dias em que o Brasil registrou média diária de mais de 3 mil mortes por covid-19. Na ocasião, o ministro atendeu a um pedido da Anajure (Associação Nacional de Juristas Evangélicos).