15 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Januária na janela vê passar a boiada da reforma da previdência e da autonomia do BC

O cenário em construção é de fome, miséria, desemprego, violência e morte.

Autonomia do Banco Central serve apenas aos interesses dos banqueiros

Sem noção pela absoluta ignorância, grande parte da população brasileira vai assistindo a ” boiada” passar, feito Januária na janela.

Se deu isso exatamente na reforma da previdência, apesar dos alertas que foram muitos. Hoje, com a triste “reforma” o trabalhador não se aposenta com menos de 70 anos de idade.

Mas, diga-se, essa regra não vale para os militares de altas patentes, nem para os magistrados, pois esses não foram inseridos no pacote da reforma bolsonariana.

Assim, os brasileiros vão comprando gato por lebre, crentes que estão fazendo um grande negócio.  A reforma não melhorou em nada a vida do trabalhador. Pelo contrário. Tirou-lhes direitos.

Os benefícios foram para empresários e banqueiros. Estes últimos que hoje administram o dinheiro que o trabalhador desconta para a previdência. Em alguns estados o  servidor aposentado com salário minguado paga até 14%.

Esse roteiro desalmado, sem compromisso social nenhum, já havia sido enfatizado na dita reforma trabalhista, que também aniquilou os direitos dos trabalhadores pela cepa.

Lá se foram. E a gente sem noção seguindo a boiada como se dissesse em uníssono: está tudo muito bem…

Bem coisa nenhuma.

O que se tem nesse caminho é um desmonte social, que impõe ao País um cenário de fome,  miséria,  desemprego, violência e morte.

Mas a boiada vai passando com a conivência explícita de um congresso vendido.

Não foi por outra razão que aprovaram a autonomia do Banco Central com o argumento de que é a redenção da economia e do emprego do trabalhador brasileiro.

Não Januária, não é. Sai da janela. É mais um gato por lebre vendido à sociedade de forma criminosa.

Mais lamentável ainda é a qualidade dos parlamentares que sequer entendem o papel do banco e nem a quem ele serve, rigorosamente.

Tanto que o relator do projeto, deputado federal Silvio Costa Filho (Republicanos-PE) disse textualmente: “Esta é, sem dúvida, mais uma grande conquista para as trabalhadoras e os trabalhadores brasileiros, que se verão protegidos por um órgão governamental”.

Uma blasfêmia. Que cara de pau. Sujeito sem o mínimo de conhecimento.

O projeto, na verdade, cria uma caixa preta no Banco Central para salvar bancos, sem controle nenhum. Nem do Estado, nem da justiça e muito menos do parlamento.

Ou seja, vai atender exclusivamente aos interesses dos bilionários brasileiros e banqueiros que, cada vez, empregam menos mão de obra. Vivem da especulação no mercado, com majoração de lucros e dividendos graças à política de juros que eles impõem.

Onde, então, que os trabalhadores vão ser beneficiados, cara pálida?

É absurdo e muito triste o que o senhor Paulo Guedes está fazendo com o País, enquanto a moça está na janela fazendo cara de paisagem.

O estágio que ele fez no Chile resultou na revolta que hoje se vive lá, principalmente depois que os chilenos descobriram que não tinham como se aposentar.

Ora, se o Banco Central já não tinha preocupação alguma com o pleno emprego, agora muito menos, por que vai estar voltado apenas para os interesses comerciais do sistema financeiro. Nunca para projetos econômicos do governo ou de quem quer que seja.

Sabe Januária, toda essa conivência, esse marasmo e a falta de compreensão da nossa gente  nos remete àqueles versos finais da bela canção do  Chico Buarque:

Eu bem que mostrei a ela
O tempo passou na janela
E só Carolina não viu.

Mas, o danado é que temos milhões de carolinas, cegas, surdas e mudas.