24 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

“Trairagem”: Para salvar Bolsonaro na CPI, aliados começam a jogar toda a culpa em Pazuello

Deputados dizem que Wajngarten, na Veja, responsabilizou o ex-ministro da Saúde pelos desmandos que seriam do presidente

Capa da Revista Veja desta semana, o ex-chefe da Secretaria de Comunicação do governo, Fábio Wajngarten, praticamente jogou todos os erros e omissões desta pandemia nas costas do general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde.

Segundo Wajngarten, todo o fracasso do governo no combate à pandemia foi culpa de Pazuello e sua “ineficácia” e “incompetência” durante o comando da pasta.

Pfizer

Wajngarten declarou à revista Veja que, em setembro, do ano passado, quando o coronavírus já tirava a vida de 750 brasileiros por dia, ele soube que a Pfizer enviara uma carta ao governo oferecendo a venda de 70 milhões de doses de vacinas, mas que o Ministério da Saúde ignorou.

Na entrevista ele diz que levou o assunto ao presidente, que o autorizou a negociar com a farmacêutica. Teria havido diminuição no preços e melhores condições de contrato, mas, mesmo assim, o negócio não prosperou.

O presidente, no entanto, publicamente criticou o contrato com a Pfizer, dizendo que uma cláusula (padrão) isentava a empresa por problemas com efeitos colaterais. Foi quando o presidente falou em pessoas virando jacaré ou mulheres crescendo barba.

Manda quem pode

Pazuello, claro, que não é santo, foi o mesmo ministro que anunciou aos governadores a compra da Coronavac, do Instituto Butantan, apenas para o presidente Jair Bolsonaro o renegar publicamente. À época, o presidente afirmava que a vacina chinesa nunca seria comprada.

O então ministro recuou do anúncio, desistiu da compra e ao receber o presidente em casa, enquanto se recuperava da covid, afirmou: manda quem pode, obedece quem tem juízo.

CPI

Parlamentares de diversos partidos já iram a entrevista como um jogo combinado com o governo para livrar Bolsonaro de responsabilidades – que, convenhamos, são difíceis de negar. Confira algumas das reações: