29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

“Vamos acabar com coitadismo de nordestino, de gay, de negro e de mulher”

Segundo Bolsonaro, políticas afirmativas reforçam preconceito

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou que irá acabar com a política do “coitadismo” a nordestino, gay, negro e mulher. Segundo ele, as políticas afirmativas reforçam o preconceito.“Isso não pode continuar existindo. Tudo é coitadismo. Coitado do negro, coitado da mulher, coitado do gay, coitado do nordestino, coitado do piauiense. Vamos acabar com isso”, disse.

Na entrevista, feita no sábado (20) e divulgada nesta terça (23) pela TV Cidade Verde, afiliada do SBT no Piauí, o candidato afirmou que não perseguirá os governadores do PT e da oposição.

Sobre o MST, o candidato disse que vai trata-lo como ação de terrorismo. “Ações do MST serão tipificadas como terrorismo. Esse pessoal não pode continuar levando terror ao campo”.

Ao menos ele é coerente. De propósito, ele adotou uma personalidade “boazinha”, embora não se segure por muito tempo, pra conquistar voto. Propostas pra mulher e nordestino? Apenas pra inocente acreditar. Muita mentira, muita falsidade, como ele mesmo mostra antes das eleições neste outro vídeo:

Fake news

Ele voltou a falar sobre a polêmica do WhatsApp e criticou a Folha. “Primeiro, a matéria surgiu na Folha de S.Paulo, num jornal de sempre, num jornal que não tem qualquer compromisso com a verdade”, disse.

“Não tenho qualquer contato com empresário, nunca pedi pra ninguém fazer isso. Afinal de contas, nos dominamos as mídias sociais desde antes de começar a eleição. Não temos 7 milhões de seguidores de agora. No meu Facebook nunca impulsionamos nada, nunca pagamos dez centavos. É o desespero por parte deles”.