5 de dezembro de 2020Informação, independência e credibilidade

Wagner Melo

Wagner Melo é jornalista profissional formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal/2000) e pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Cesmac (2010). Possui experiência em assessoria de imprensa, redação publicitária e passagem em veículos como a Gazeta de Alagoas (onde foi revisor, repórter de Cidades e Política e, posteriormente, editor-adjunto de Cidades) e Folha de S. Paulo (colaboração em Alagoas). Também foi repórter na Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) de Maceió e é coautor do livro “Maceió: Perspectivas e Desafios”.

Mr Catra, a bancada evangélica e a orgia na partilha do poder

Blog, Wagner Melo
Se estivesse vivo, o bordão do lendário funkeiro Mr Catra se encaixaria perfeitamente na relação entre o presidente da República eleito e a bancada evangélica nesta fase de transição do governo: - Vai começar a p...taria!, exclamava o finado, no início de cada show. O protagonista das cenas de humilhação (risos) é o senador Magno Malta, que hoje poderia ser o vice-presidente, mas rejeitou o convite do então candidato “azarão” e preferiu tentar a reeleição. Acabou “demitido” pelos capixabas e hoje é o elefante na sala, ou um “camelo” nas sábias palavras do general Mourão, o real vice-presidente. É cobra comendo cobra. Um dos ofídios mais venenosos, o pastor Silas Malafaia, da ramificação Vitória em Cristo, da Assembleia de Deus (será dele mesmo?), toma as dores de Malta e mandou um re

A pobreza que volta a nos assombrar

Blog, Wagner Melo
Relatório divulgado pela organização não governamental Oxfam revela que o Brasil estagnou no que diz respeito à redução das desigualdades. E a tendência é piorar. Ou você acha que ameaças reais como a extinção do 13º salário, das férias remuneradas e a sobrecarga daqueles que ficam em empresas que demitem cada vez mais vão representar empregos e salários maiores para a massa? “Completamos 30 anos de nossa Constituição Federal, principal instrumento para a redução de desigualdades na história do Brasil. Infelizmente, este marco não enseja comemorações no presente contexto. Pelo contrário, vemos conquistas importantes serem desmanteladas e o prenúncio de um período de crescimento da pobreza e das desigualdades no país”, alerta o texto da apresentação do documento. De acordo com a ON

Alô Correios, deixa a gente fechar bons negócios, por favor?

Blog, Wagner Melo
Pobre, quando faz na compra na internet, tem uma alegria e uma tristeza logo depois. A alegria é quando encontra o que está procurando com um preço justo. A tristeza é quando vai calcular o valor do frete para receber a mercadoria em casa. Nesta semana, senti isso na prática. Encontrei um acessório para meu carro no Mercado Livre a R$ 17,99. Mas o doce gostinho virou amargor quando deslizei os olhos pela tela do computador e enxerguei o valor do frete: R$ 60,99. Sangue de Cristo! É mais de três vezes o valor do produto. O aumento no valor do frete dos Correios, que aconteceu no início do ano, foi de até 51%. O aumento médio ficou em 29%. Mesmo assim, a qualidade dos serviços não acompanhou a velocidade do acréscimo no preço do serviço. A carestia e a ineficiência da empresa est

Em terra de 7×1, preocupar-se com o 5×1 é procurar pelo em ovo

Blog, Wagner Melo
Passei dois dias assistindo a um programa policialesco na TV. São várias modalidades de crime, mas uma não pode faltar às edições diárias de exposição da tragédia humana: mulheres mortas por ex-maridos ou ex-namorados que não aceitam o fim do relacionamento. Peguei na Agência Brasil informações fresquinhas da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), sobre os índices de feminicídio na América Latina. Segundo apurado, a cada dez feminicídios cometidos em 23 países da América Latina e Caribe em 2017, quatro ocorreram no Brasil. Foram 2.795 mulheres assassinadas na região, no ano passado, em razão de sua identidade de gênero –1.133 delas eram brasileiras. Junte-se a isso a violência doméstica que alcança todas as cla

Com a vida não se joga: o respeito às leis nos protege da barbárie

Blog, Wagner Melo
O jogador Daniel Correa fez uma brincadeira de macho escroto ao tirar foto com uma mulher dormindo e compartilhá-la numa rede de troca de mensagens, com amigos, como troféu de uma “caça” bem sucedida. Pego no pulo, poderia ser multado, pegar uma pena de prisão leve ou, quem sabe, prestar serviços comunitários. Mas, não foi o que aconteceu. Todos os indícios levam a crer que ele foi brutalmente espancado, teve os genitais mutilados, quase foi degolado e seu corpo jogado em um matagal. Perdeu a vida e a dignidade. O “castigo” foi desproporcional, não? Claro que sim! E aí, vou aonde quero chegar: não se deve deixar cada um fazer justiça como bem entende, senão, a barbárie está instalada. As leis existem e deve ser respeitadas. É aí que entram os impopulares direitos humanos, que visa

Eleitos querem comprar drones caríssimos para ‘enxugar gelo’

Blog, Wagner Melo
A última do governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e do Bolsokid (o Flávio, senador eleito pelo mesmo Estado - PSL) é importar drones para matar a ponta do tráfico. Sim, eles sabem que não resolve o problema, pois a raiz do crime não está nas favelas, onde eles querem implantar a política de extermínio. Mas, se desperta a sede de sangue de seus adoradores, vale a pena ventilar insanidades impunemente e ainda serem aplaudidos. Preservar os elos superiores da cadeia do comércio de entorpecentes e só atacar os distribuidores finais é enxugar gelo, não precisa de muita leitura para saber disso. Basta raciocinar. Aquele menino analfabeto, que cresceu em uma família desestruturada, que muitas vezes só comia quando se virava na rua, tem condições de estabelecer toda uma c

Receita para enfrentar o fascismo

Blog, Wagner Melo
Há poucas décadas, quando os jornais publicavam receitas de bolo no meio das notícias, você poderia ter certeza: censores da ditadura militar (1964 a 1985) haviam passado na redação no dia anterior e vetado alguma notícia que consideravam perigosa para o “regime”. Eram tempos sombrios, de perseguição, que estamos vendo renascer, perplexos. E que tem sido mais evidente nas universidades. A “caça às bruxas” ganha novos e perigosos contornos diante da ascensão de uma ideologia política que quer se tornar hegemônica no grito e na força. Depois das batidas policiais nos centros acadêmicos, corretamente estancadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a mais nova batalha contra a doutrinação comunista não vem da louca Janaína Pascoal, deputada eleita por São Paulo, mas de Ana Caroline Campa

Da ameaça à Justiça aos alertas mundiais

Blog, Wagner Melo
Por Wagner Melo, jornalista Primeiro, o filho diz que basta um soldado e um cabo para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF). Depois, o pai chama os “vermelhos” de vagabundos e diz que, ou eles mudam de país ou serão “varridos”. Se você acha que esse discurso não tem nada de errado e antidemocrático é melhor se tratar. Um verdadeiro líder dialoga com a oposição e respeita o contraditório, procura pacificar e pensa no bem de todos. Se os poderes continuarem acovardados e demonstrando fraqueza, o déspota instala uma ditadura no país e todos, por ação ou omissão, serão responsáveis pelo que está por vir. Aliás, acredito que estamos nos tornando uma nação doente. Onde, no mundo civilizado, um povo sai às ruas e se manifesta contra direitos e a favor da instalação de um regime tirâ

A falta de debate é agressão covarde à democracia

Blog, Wagner Melo
Por Wagner Melo, jornalista A ausência de debates neste segundo turno das eleições presidenciais é preocupante. Mostra que, para o lado que está à frente das pesquisas, propostas e ideias estão em segundo plano. Então, sobra o quê? Será que os eleitores cegos de paixão sabem o que os esperam? Ou votam, simplesmente, por ódio e para manifestar seus preconceitos? Será que os mais pobres sabem o que, para eles, representa o tal do estado mínimo? Talvez por isso, esta eleição seja marcada pelas fake news, por mais preocupação com moralismo barato e a tentativa de despertar nas pessoas o medo e o desespero, além da repulsa ao outro. Somos tão atrasados que o discurso da Guerra Fria ecoa forte por aqui. Ainda caçamos “comunistas” comedores de criancinhas. Muito se fala em não virar Ven

Marine Le Pen (até tu, mulher?) e uma lição ao Bozo

Blog, Wagner Melo
Por Wagner Melo, jornalista É chato saber que até Marine Le Pen, expoente da extrema direita francesa, fica chocada com as declarações de certo político brasileiro. Porém, 54% dos eleitores tupiniquins acham até bonitinho. “Não vejo Bolsonaro como um candidato de extrema direita. Ele diz coisas extremamente desagradáveis que são intransponíveis na França. São culturas diferentes”, afirmou ela, durante entrevista ao Canal France 2. As informações são do Estado de São Paulo. Com 34% dos votos nas eleições francesas de 2017, ela foi derrotada pelo centrista Emmanuel Macron, que obteve 66%. “[Ele diz] coisas desagradáveis que são intransponíveis na França", revelou, ao declarar que não o enxerga como representante legítimo da extrema direita. Le Pen acha questionáveis as declaraçõe