18 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade

Autor: Wagner Melo

Maceió pode se diferenciar pela união do moderno ao tradicional

Maceió pode se diferenciar pela união do moderno ao tradicional

Blog, Wagner Melo
Desnecessária a polêmica em torno da cadeira gigante na orla marítima da capital. O mundo está cada vez mais digital e isso não tem volta. Criar os tais espaços “instagramáveis” na região turística de Maceió foi uma excelente estratégia de marketing da gestão JHC. Tanto que a prefeitura comemorou o aumento de 6.000% nas buscas pelo termo “Maceió” no Google, de acordo com o Google Trends. Como um dos principais destinos turísticos do Brasil, a cidade registrou um aumento monstruoso na sua divulgação, de forma espontânea. Isso é muito bom, porque fortalece o turismo, oxigenando um dos nossos principais pilares econômicos, por meio da inovação e da criatividade. Além das praias inigualáveis, da boa comida e da hospitalidade, Maceió oferece espaços divertidos para aquela selfie difer

2022, o ano que não deveria existir

Blog, Wagner Melo
O último ano-novo foi bem diferente. As pessoas pareciam desejar que 2022 acabasse logo, mesmo antes de começar. O motivo? Sempre ele, Jair Messias Bolsonaro. Este é o último ano do mandato presidencial e nunca o fim de uma era das trevas foi tão desejado. A expectativa de que o mal seja vencido e as maldades em sequência dessa gestão faz grande parte das pessoas quererem pular 2022 para 2023. Ninguém aguenta mais tanta desumanidade, falta de empatia e teimosia. Além do mais, a coisa anda tão difícil que 40% da população brasileira deixou de comprar roupas, sapatos e eletrodomésticos para poder pagar as contas de gás e luz, segundo reportagem exibida no Fantástico. Esses números são de pesquisa encomendada pelo Instituto Clima e Sociedade ao Ipec (Inteligência em Pesquisa e

Verbas da Covid-19 viram refeições fartas nas mesas dos militares

Blog, Wagner Melo
As mamães sempre dizem que crianças que comem bem ficam fortinhas e têm mais saúde. Os militares brasileiros seguem isso à risca e “raspam” o prato, segundo aponta o Tribunal de Contas da União (TCU). Foram cerca de R$ 500 mil gastos em 2020 com itens alimentícios de luxo, como picanha e filé mignon. O que eles não aprenderam com mamãe é que é feio pegar o que pertence aos amiguinhos. O banquete foi financiado com recursos destinados ao enfrentamento à Covid-19, que já matou 619 mil brasileiros. Itens considerados não essenciais, como bacalhau, salmão, camarão e bebidas alcoólicas também entraram na conta, segundo a Secretaria de Controle Externo de Aquisições Logísticas (Selog). Na cara de pau, o Ministério da Defesa informou que os militares atuaram no combate à pandemia. O r

Se o bem se unir, em 2022 a escolha será muito fácil

Blog, Wagner Melo
A pesquisa divulgada nesta terça-feira, 14, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), traz alguns dados animadores. Ela revela que, para 65% dos entrevistados, os estabelecimentos devem exigir o comprovante de vacinação dos frequentadores. Apenas 22% são contra. Outro aspecto importante: dois em cada três brasileiros (66%) têm medo de conviver, diariamente, com pessoas que não tomaram nenhuma das doses da vacina contra a Covid-19. A população brasileira, no geral, tem consciência dos riscos da Covid-19 e defende as medidas sanitárias para conter o novo coronavírus. Vide como, apesar das almas sebosas, a maioria tem decidido pela vacina e pela ciência. Olha que dado preocupante: a pesquisa da CNI revela ainda que quem não recebeu nenhuma dose de vacina é quem tem menos medo de

Corrupção abençoada. Eu ouvi um “glória”?

Blog, Wagner Melo
Para uma ala evangélica tudo pode em nome do tal deus. Até desviar dinheiro público, “protegidos” por Cristo, eles acham que podem. Vejam a comemoração de Michelle Bolsonaro após André Mendonça conseguir passar pela sabatina no Senado para o STF: https://youtu.be/n65NXbAEGfQ Agora, vejam esse grupo de políticos rezando para agradecer pela propina recebida: https://youtu.be/WK0dzsV9YWU No caso da primeira-dama, ela vibra porque o ministro do Supremo “terrivelmente evangélico”, indicado pelo marido dela, deve herdar um pedido de investigação contra ela pelos cheques depositados por Fabrício Queiroz. Já ouviram falar na “dança da pizza”? A então deputada Angela Guadagnin (PT-SP) fez aquela cena ridícula em plenário para comemorar a absolvição de um colega no caso do Mensa

Defender a vida custa sangue; bem-vindos à Era das Trevas

Blog, Wagner Melo
Estamos perdidos. O simples ato de pedir para que um animal use máscara pode custar uma vida. Tempos sombrios, estes, em que essa gente se sente empoderada para manifestar seus instintos malignos. O caso do gari morto em Maceió, nesta segunda-feira (29), após discutir com outro passageiro que estava sem o acessório obrigatório dentro do transporte coletivo, nos causa indignação e comoção. Ponto para “eles”. É uma batalha diária e cansativa combater os seres do pântano que não sabem conviver em sociedade. Não querem se proteger e ainda põem outras pessoas em risco. Felizmente, a história mostra que a humanidade evolui, independentemente da bestialidade conservadora e negacionista. No caso do austríaco que morreu de Covid-19 na semana passada, após se infectar propositalmente em fes
Se está difícil para o Roberto Carlos…

Se está difícil para o Roberto Carlos…

Blog, Wagner Melo
Se está difícil para o Roberto Carlos, que ficou parado na rua sem combustível no carro dele, imagina para a gente? Segundo a assessoria do cantor, como o “rei” ficou muito tempo isolado em casa, por conta da pandemia de Covid-19, e saiu pouco com o seu Audi R8, acabou não percebendo que o nível do tanque estava na reserva. Resultado: pane seca. É claro que não falta dinheiro para Roberto Carlos abastecer os seus veículos, mas, não dá para perder a piada. E nem a oportunidade de criticar essa política cruel de reajuste semanal nos preços dos combustíveis. O valor do litro da gasolina era um dos principais motivos para os fascistas criticarem o governo do pleno emprego, do acesso aos bens de consumo e da distribuição de renda. Agora, estão satisfeitos. Bem-vindos ao Brasil d

Não confiem em políticos que “não são políticos”; eles são os piores políticos

Blog, Wagner Melo
O que o Movimento Brasil Livre (MBL) e a Lava Jato têm em comum? Ambos são movimentos políticos que se apresentavam como não políticos. O MBL elegeu os seus parlamentares, como o ridículo do Fernando Holiday, Kim Kataguiri e Mamão Falei, três pecinhas que atacam, diariamente, direitos e conquistas da maioria dos brasileiros. Já a Lava Jato deve vir aí com Moro e Dallagnol. A economia brasileira tem um dos piores desempenhos do mundo nessa pandemia? Agradeça ao lava-jatismo, que destruiu a indústria nacional sob o manto do combate à corrupção. Aliás, Moro se filiou ao Podemos, partido que tem dez dos seus dezenove parlamentares enrolados com a Justiça, segundo levantamento feito por uma revista semanal. O discurso anticorrupção é mais uma mentira que comprova ser o ex-juiz feder

A masculidade frágil não aguenta um grama de kriptonita

Blog, Wagner Melo
O caso Maurício Souza - jogador de vôlei homofóbico que fiscaliza a sexualidade de personagens fictícios dos quadrinhos e da Sessão da Tarde - escancarou, ainda mais, a hipocrisia das “pessoas de bem”. Em resposta aos seres humanos que não toleram discurso de ódio, essa gente vem publicando imagem do Superman beijando a Mulher Maravilha. Seria uma forma de atestar a masculinidade do “homem de aço”. Mas, a atitude está eivada de vícios. A começar pelo fato de que Superman já é compromissado com a Louis Lane. Traição? Sim, os defensores da família tradicional honram a tradição da mulher respeitada em casa e da amante na rua para liberar todas as fantasias. Separam a mulher que é “para casar” daquela que é para quengar. Outra coisa, é que a Mulher Maravilha é sabidamente bissexua

Se o governo Bolsonaro fosse um poema, seria escrito por Manuel Bandeira

Blog, Wagner Melo
Os versos do poeta Manuel Bandeira (19 Abril 1886 - Recife, Pernambuco, Brasil | 13 Outubro 1968 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil) traduzem em trágicas linhas a miséria humana imposta pelas políticas desastrosas do governo Bolsonaro.  Escrito em 1947, o poema "O Bicho", infelizmente, continua atual. Sinal de como retrocedemos. Leia: O Bicho Vi ontem um bicho Na imundície do pátio Catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa, Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem. Rio, 27 de dezembro de 1947