22 de setembro de 2020Informação, independência e credibilidade
Economia

Guedes: “Preço do arroz subiu porque condição de vida dos pobres melhorou”

Ministro da Economia cita que governo pagou parcelas do auxílio emergencial e liberou saque do FGTS durante a pandemia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (15/9) que o preço do arroz registrou forte alta em meio à crise do novo coronavírus porque a condição de vida dos mais pobre está melhorando. No ano, a inflação do arroz acumula alta de 19,2%.

Guedes destacou que houve uma “enxurrada de dinheiro” paga a famílias de baixa renda durante a pandemia, como o auxílio emergencial de R$ 600 e o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

“A pauta de consumo dos mais vulneráveis e dos mais frágeis é justamente a alimentação e a construção da casa própria. Então está havendo um boom da construção na baixa renda e nos supermercados”. Paulo Guedes, ministro da Economia.

Vice-presidente

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) também foi na mesma tocada e já afirmou que alta de alimentos da cesta básica como o arroz é provocada pelo dinheiro que o governo federal injetou na economia com programas sociais, sendo o principal deles atualmente o auxílio emergencial, com foco em trabalhadores informais.

Segundo Mourão, a elevação dos preços ao consumidor “é uma questão da lei da oferta e da procura”.

“As pessoas estão se alimentando melhor e melhorando suas casas, essas são duas áreas onde está havendo bastante gasto”. Hamilton Mourão, vice-presidente.

O arroz disparou nos supermercados brasileiros, sobretudo nas últimas semanas. Um pacote de cinco quilos, normalmente vendido a cerca de R$ 15, chega a custar R$ 40.

A alta do arroz já chega a 100% em 12 meses. E não há previsão de queda: produtores e especialistas dizem que os preços devem continuar subindo nos próximos meses.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.