28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Bolsonaro, de novo, põe dúvida em votação: ‘Não serão 2 ou 3 que decidirão’

Atrás nas indicações de voto, Jair desinforma enquanto incentiva população a “defender democracia com sacrifício da vida”

Em cerimônia no município de Parnamirim, Rio Grande do Norte, o presidente Jair Bolsonaro agiu novamente em campanha eleitoral. E colocou dúvida de novo a contagem dos votos na eleições no Brasil

“Podem ter certeza, por ocasião das eleições, os votos serão contados no Brasil. Não serão dois ou três que decidirão como serão contados esses votos. Nós defendemos a democracia, a liberdade, e tudo nós faremos, até com sacrifício da própria vida, para que esses direitos sejam relevantes e cumpridos, de fato, no Brasil”.

Bolsonaro, mais uma vez, mentiu. As urnas eletrônicas são auditáveis e este procedimento é feito durante a votação. Há uma auditoria completa, com sorteio indiscriminado com juízes eleitorais de cada permitindo checagem de urnas.

Leia mais: Bolsonaro volta a pregar fim da urna eletrônica e debocha de ministros do TSE
Bolsonaro, chorão, chato e mentiroso, ataca de novo STF, vacinas, urnas, democracia…

A questão é que, atrás na pesquisa, e sem muito a mostrar de positivo em seu governo, Jair utiliza de retórica inflamatória e desinforma a população quanto a segurança da votação. Que ele mesmo ganhou, em 2018.

Pra ganhar de novo, Bolsonaro já monta seu cerco. Hoje, chegou ao evento montado em um cavalo branco e repetiu que a luta dele é “do bem contra o mal”.

“Cada vez mais a população entende quem está do lado do bem e quem está do lado do mal. A luta não é da esquerda contra a direita, mas do bem contra o mal e bem sempre venceu. Dessa vez não será diferente, o bem vencerá”.

Reiterado

Bolsonaro foi derrotado na Câmara, em agosto do ano passado, pois sua proposta de incluir um módulo de voto impresso ao lado das urnas eletrônicas a partir das eleições deste ano não foi adiante.

A votação ocorreu no mesmo dia que um desfile inédito de blindados na Praça dos Três Poderes, em Brasília, e gerou protestos, principalmente da oposição.

Leia mais: Barroso diz que mentira de Bolsonaro sobre urna eletrônica já está pronta
Bolsonaro volta atacar sistema eleitoral e diz que urna eletrônica não é de confiança

Bolsonaro havia amenizado o tom no ano passado sobre o assunto, após uma crise institucional, com ajuda de Michel Temer e até reclamações do aliado Arthur Lira. E passou a chancelar o atual sistema de votação.

Mas Jair não “muda o tom” por muito tempo. Ele é apenas isso e durante toda essa eleição fará um inferno, com mentiras e desinformações, sobre a legitimidade da votação.

One Comment

  • Avatar Vitor

    “As urnas eletrônicas são auditáveis e este procedimento é feito durante a votação. Há uma auditoria completa, com sorteio indiscriminado com juízes eleitorais de cada permitindo checagem de urnas.”

    Votação paralela não é considerada auditoria pela comunidade de segurança eleitoral (a séria pelo menos). É verdade que o lixo do presidente vê fraude onde não se tem evidência, mas não é por isso que vamos nós espalharmos desinformação também.

Comments are closed.