23 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade

Dia: 8 de junho de 2021

Mulher finge pedir quentinha em ligação ao 190 para denunciar violência doméstica em Arapiraca

Mulher finge pedir quentinha em ligação ao 190 para denunciar violência doméstica em Arapiraca

Policia
Nesta segunda (7), uma mulher em Arapiraca fingiu ligar para pedir uma quentinha, após ter ligado para o 190 e conseguir denunciar o próprio marido em conversa com o número de emergência da Polícia Militar. Na ligação, ela confirmou que sabia que estava falando com o número de emergência, com o operador compreendendo que ela poderia estar sendo vigiada em casa. Após a denúncia, suspeito foi detido e autuado com base na Lei Maria da Penha. A vítima relatou que seu companheiro chegou em casa inconformado com o término do relacionamento, passando a ficar agressivo e fazendo ameaças. Alguns objetos pessoais dela foram quebrados, mas não houve uso de força física para agredir a companheira.
Lacen/AL aumenta estoque de kits RT-PCR para ampliar diagnósticos

Lacen/AL aumenta estoque de kits RT-PCR para ampliar diagnósticos

Alagoas
Os alagoanos têm a disposição um estoque de 3.900 kits RT-PCR, teste considerado padrão ouro na detecção do novo coronavírus. Os exames estão armazenados no Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL) e são enviados semanalmente pela Coordenação Geral dos Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB) do Ministério da Saúde (MS). Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o Lacen/AL recebeu um total de 120.684 amostras para a realização do diagnóstico da Covid-19. Neste período, o laboratório fez a liberação de 119.392 resultados, com 1.292 testes sob análise até esta segunda-feira (7). Anderson Brandão, gerente do Lacen/AL, explica que o órgão federal encaminha periodicamente os kits RT-PCR conforme as solicitações feitas pelo laboratório. “O fornecimento dos testes RT PCR está sendo
PF prova que Gabinete do Ódio tem participação da Secom de Bolsonaro

PF prova que Gabinete do Ódio tem participação da Secom de Bolsonaro

Política
Enquanto se enrolava entre as diversas mentiras que contou na CPI da Covid, Fabio Wajngarten, ex-titular da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República), jurou que Tércio Thomaz, ligado ao Gabinete do Ódio, assessor especial do presidente Jair Bolsonaro, não tinha relação com o trabalho da pasta. Pois bem: na PF, o próprio Tércio admitiu que ele e dois outros assessores tinham atuação junto à Secom. O tal Gabinete do Ódio é o nome dado ao grupo de assessores que trabalham no Palácio do Planalto e distorcem informações, principalmente, nas nas redes sociais. A desinformação, mentira escancarada e ataques contra adversários acontecem em páginas de apoio à família Bolsonaro, com Tércio Thomaz sendo considerado o líder do grupo. Tércio repassou vídeos do president
Ministro da Saúde volta à CPI hoje para novo depoimento

Ministro da Saúde volta à CPI hoje para novo depoimento

Política
A CPI da Covid ouve nesta terça-feira, 8, pela segunda vez, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Apesar de o gestor avaliar que não há informações novas a serem prestadas, o depoimento promete trazer mais elementos sobre o gabinete paralelo — grupo que prestaria assessoria ao presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia. Os senadores devem votar, também, quebra de sigilos e convocações para aprofundar as investigações sobre o assunto. Apesar de a confirmação do Brasil como sede da Copa América ter sido o estopim para antecipar o novo depoimento de Queiroga, o tema não deve ser foco da nova oitava, mas corrobora a tese de que falta autonomia para o ministro gerir a própria pasta. “Esse episódio, em que ele se calou como ministro da Saúde e preferiu ser ministro do silêncio,
Bolsonaro condena Barroso por impedir ações de despejos na pandemia

Bolsonaro condena Barroso por impedir ações de despejos na pandemia

Brasil, Justiça
O presidente Jair Bolsonaro criticou, nesta segunda-feira, 7, a decisão do ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a suspensão por seis meses do despejo de moradores em todo o país em meio à pandemia da covid-19. "O ministro Barroso aceitou agora uma petição do PSol. Olha só a que ponto chegamos, né? De modo que quem invadiu terra ou está ocupando imóvel desde antes da covid, pode ficar mais seis meses numa boa, tranquilo. É o fim da propriedade privada", apontou. Bolsonaro alegou ainda que o PSol tem “seus simpatizantes”. “Eu, quando votava as coisas no Parlamento, eu levo em conta qual o partido do cara, a partir daí, eu começava a formar meu juízo. Se é do PSol, 100% contra, não interessa qual é o projeto”, emendou. "O cara ocupa, não paga mais aluguel