23 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade

Tag: Sociedade

De uma sociedade intolerante e carrasca para uma mídia cada vez mais atordoada

De uma sociedade intolerante e carrasca para uma mídia cada vez mais atordoada

Blog, Marcelo Firmino
De repente estamos a viver em uma sociedade em que o critério da razoabilidade foi praticamente banido. A racionalidade do ser foi erradicada e o que tem prevalecido é a bestialidade humana, a intolerância, o ódio, a permanente incoerência. No ar fica aquela sensação, para muitos, de que o exercício da barbárie satisfaz de forma prazerosa a uma camada da sociedade, ávida para impor sua filosofia, a partir das bolhas de raciocínio uniforme, longe das diferenças de pensamento, de gênero, raças e princípios éticos. A vertente em voga é tão maléfica que no convívio social de agora, o dito "cidadão de bem",  com interesses contrariados, posa de policial, delegado, promotor, juiz e carrasco da sociedade, sem pestanejar. E muitos com um terço na mãos e a guilhotina na mente. É o cruz
País sem limites: mate o governador e ganhe 1 ano de churrasco grátis

País sem limites: mate o governador e ganhe 1 ano de churrasco grátis

Blog, Marcelo Firmino
É impossível hoje em dia não pensar que alguma coisa está fora de ordem no interior de cada cidadão e, até mesmo, em meio as instituições do País. O discurso de ódio é comum atualmente nas mesas de bar, nos aplicativos da internet e, inclusive, nos três poderes. Isso  é a prova inconteste de que a nobreza da razão e a rotina do desrespeito formam uma linha tênue na sociedade. Há uma ânsia de indivíduos para eliminar quem pensa diferente, quem age diferente e quem ama diferente, que vem se avolumando a todo instante por aqui. É algo de um tecido social esgarçado e mentes doentias. Certamente, quase todos já viram uma cena ou ouviram alguém bradar, em algum lugar: -Negro filho da puta. Minha vontade é de dar um tiro na sua cabeça, safado! O ódio que as pessoas estão carregand
Lembra do senador com dinheiro enfiado na bunda: volta ao cargo em fevereiro

Lembra do senador com dinheiro enfiado na bunda: volta ao cargo em fevereiro

Blog, Marcelo Firmino, Política
Estamos vivendo um inverno político que gerou, possivelmente, o pior parlamento dos últimos 20 anos no Estado brasileiro. As representações de Câmara e do Senado, salvo pequenas proporções, estão pouco se lixando para os interesses da coletividade. A maioria quer se dar bem. E se dar bem significa poder à base de tudo. Preferencialmente com dinheiro na cueca ou enfiado na bunda. Não importa. Mas, é bom que se diga,  essas representações que receberam mandatos nas duas casas são a cara da sociedade brasileira de então. Houve um tempo em que o parlamentar falgrado na picaretagem, no crime ou na falta de decoro era levado à Comissão de Ética e lá mesmo perdia o mandato. Hoje,  Câmara e Senado praticamente não têm Comissão de Ética. Existe na forma e não nas ações. Tanto
A mentira: a nova forma de prazer da sociedade no mundo atual

A mentira: a nova forma de prazer da sociedade no mundo atual

Blog, Marcelo Firmino
A mentira no meio político não é uma novidade. É secular. Em nome do poder, os políticos nesse quesito são despudorados e prontos para vender tudo. Até a alma. A questão é que antes a sociedade até que se preocupava em discernir o que era verdade ou mentira. Hoje não. O pessoal mente de forma descarada e espalha a mentira com um prazer inenarrável. E isso independe de ideologia. Mas se mente demais por ela, também. Antes, qualquer que fosse o pretende a um cargo executivo tinha que, primeiramente, apresentar uma plataforma, um programa de governo, enfim, dizer concretamente o que pretendia fazer, mesmo que nesse contexto algumas mentiras fossem apresentadas. Agora é tudo diferente. Não há programas, nem plataformas. Há mentiras, de preferência contra os adversários, numa es
Brasil: 70 mil mortes e uma gente nefasta que não está nem aí

Brasil: 70 mil mortes e uma gente nefasta que não está nem aí

Blog, Marcelo Firmino
Impressionante como a banalização da vida tornou-se uma marca da sociedade brasileira nos tempos atuais, quando quase ninguém mais sente nada com 70 mil mortes no Brasil em consequência de um vírus avassalador. São 70 mil mortes e ninguém está nem aí, com raras exceções. Eis uma tragédia que, no fundo, o sentimento gerado em cada um é aquela história repetitiva de que isso vai passar. Claro. Está passando, mas arrastando consigo uma infinidade de almas. Isso, no mínimo, seria motivo para muita indignação. Com o sistema, com quem facilitou com as normas de segurança, com quem não adotou a prevenção, com quem não cuidou do semelhante, com quem impôs seus interesses particulares contra os da coletividade, enfim, com quem banalizou a vida e facilitou a morte. Isso é de uma c
O esdrúxulo desejo de matar de uma sociedade doente

O esdrúxulo desejo de matar de uma sociedade doente

Blog, Marcelo Firmino
Uma sociedade doente, insana mesmo, não tem limites. Seu cotidiano é repleto dos mais esdrúxulos desejos. Até mesmo o de matar. Nos tempos atuais tem-se um tecido social que navega ao sabor da hostilidade, o que nos remete a um sintoma de uma formação social com uma doença grave. O pior de tudo é que o ranço ideológico - mesmo com a maioria sem entender exatamente o que significa cada tendência - apurou um caldo de intolerância que tem destruído fundamentos da convivência civilizada. E o mais lamentável é quando as autoridades passam a alimentar esse processo destrutivo, devido a concepções absolutamente reacionárias e fúteis. As autoridades agem por interesses meramente políticos. Hoje dedicadas tão somente à provocações torpes, que alimentam egos nocivos a convivência sau