20 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade

Tag: OMS

Vacina de Oxford tem resposta “robusta” entre idosos e jovens

Vacina de Oxford tem resposta “robusta” entre idosos e jovens

Mundo
A vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, em colaboração com a empresa AstraZeneca, geraria uma resposta robusta na imunidade entre idosos, assim como em adultos numa faixa etária mais jovem. Esses foram os resultados obtidos em testes clínicos e que, em breve, serão divulgados em revistas científicas. A informação foi revelada nesta manhã de segunda-feira pelo jornal Financial Times. A vacina de Oxford faz parte de um acordo com o governo federal no Brasil, num projeto que envolve a Fiocruz. A Organização Mundial da Saúde já havia recebido informações no mesmo sentido, o que abriu a possibilidade inclusive para que a agência tivesse declarado publicamente que estava "otimista" em relação ao desempenho dos testes clínicos. No dia 19 de outubro, a entidade indicou que
OMS: População deve esperar até 2022 por vacinas

OMS: População deve esperar até 2022 por vacinas

Mundo
A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que a grande parte da população mundial terá de esperar provavelmente até 2022 para ser vacinada contra a covid-19, apesar dos avanços da ciência. O recado foi emitido hoje pela entidade, que insiste que não haverá uma capacidade de produção suficiente para abastecer o mundo com vacinas de forma imediata. De acordo com a agência, a prioridade será a de garantir a vacina para profissionais do setor de saúde, idosos e pessoas com condições de vulnerabilidade. Juntos, esses grupos não somam sequer 20% das população mundial, hoje estimada em 7,7 bilhões de pessoas. "Para uma pessoa comum, jovem e saudável, talvez será preciso esperar até 2022 para ter a vacina", declarou a cientista-chefe da entidade, Soumya Swaminathan. Para ela, o mund
Mundo bate recorde de novos casos de coronavírus em uma semana, afirma OMS

Mundo bate recorde de novos casos de coronavírus em uma semana, afirma OMS

Mundo
O mundo registrou quase dois milhões de casos de covid-19 na semana passada, um recorde, enquanto o número de mortes diminuiu 10% na comparação com a semana precedente, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Todas as regiões do mundo, com exceção da África, registraram aumento de contágios entre 14 e 20 de setembro. "De 14 a 20 de setembro, registramos quase dois milhões de novos casos de covid-19, o que representa um aumento de 6% na comparação com a semana precedente e o maior número de casos desde o início da epidemia. No mesmo período, o número de mortes diminuiu 10% e foram registrados 37.700 falecidos". Comunicado da OMS. Mais de 30,6 milhões de casos e 950.000 mortes foram registradas desde que a covid-19 foi detectada n
OMS: Não haverá vacinas contra o coronavírus suficientes para um retorno à vida normal até 2022

OMS: Não haverá vacinas contra o coronavírus suficientes para um retorno à vida normal até 2022

Mundo
Original no SCMP.com, de Josephine Ma. Não espere que haja vacinas de Covid-19 suficientes para que a vida volte ao normal até 2022, previu o cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Soumya Swaminathan, na terça-feira (15). Swaminathan disse que o mecanismo de agrupamento de recursos para fornecer acesso equitativo à vacina para países com diferentes níveis de renda, só seria capaz de reunir cerca de centenas de milhões de doses até meados do próximo ano, o que significa que cada um dos cerca de 170 países ou economias que aderiram “irão ter algo". Mas o número de doses será muito pequeno para mudar a necessidade de distanciamento social e uso de máscara até que a produção aumente e alcance a meta de 2 bilhões ao final de 2021. “O que as pessoas estão imaginando
Depressão e suicídios tendem aumentar após a pandemia, segundo OMS

Depressão e suicídios tendem aumentar após a pandemia, segundo OMS

Blog, Marcelo Firmino
As autoridades da Organização Mundial de Saúde (OMS) estão preocupadas com o avanço de casos de depressão e suicídios no mundo inteiro, diante do quadro desalentador da pandemia do coronavírus. Os dados indicam que 330 milhões de pessoas no mundo sofrem com a depressão. Nesse contexto, estão inseridos 12 milhões de brasileiros. Segundo relatório da OMS, o Brasil é o País com maior número de casos na América Latina. Essa situação, que ainda não despertou nacionalmente as autoridades da área de saúde, tem afetado consideravelmente a qualidade de vida da população, que sofre com transtornos, fobias e exacerbação da ansiedade. Tudo isso, segundo os pesquisadores no mundo, tende a aumentar  na e no pós pandemia. A pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), professora Dani
OMS: Brasil, México e EUA são ameaças e precisam repensar estratégia contra covid-19

OMS: Brasil, México e EUA são ameaças e precisam repensar estratégia contra covid-19

Brasil
A resposta do governo brasileiro diante da pandemia deve ser alvo de um inquérito ou de uma avaliação. A declaração é do cientista suíço e colaborador da OMS (Organização Mundial da Saúde), Didier Pittet, considerado como um dos principais epidemiologistas na Europa. Nas últimas semanas, ele foi escolhido pelo presidente francês Emmanuel Macron para liderar um processo de avaliação sobre como a França reagiu à pandemia. Suas palavras sobre a situação brasileira são especialmente duras. De acordo com ele, Brasil, Estados Unidos e México "devem ser considerados como perigos para o restante do mundo" e representam uma ameaça aos países que, hoje, conseguiram um certo controle do vírus. Pittet é um dos conselheiros externos da OMS e um dos principais nomes em higiene pública no mu
OMS: Pandemia durará muito tempo

OMS: Pandemia durará muito tempo

Mundo
O Comitê de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê que a pandemia da covid-19 irá durar muito tempo e, por isso, é necessário continuar os esforços para a sua contenção em todo o mundo. Segundo dados oficiais da OMS, a doença já provocou 675.060 mortos e infectou quase 17,4 milhões de pessoas em todo o mundo. O grupo de cientistas, que se reuniu por videoconferência, avaliou a evolução da pandemia de covid-19, tendo em conta toda a informação científica que surgiu sobre o novo coronavírus nos últimos três meses, data da última reunião.O Comité de Emergência da OMS é composto por 18 cientistas de vários países. "A pandemia é uma crise sanitária que ocorre uma vez em cada século e os seus efeitos serão sentidos nas décadas seguintes”. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diret
OMS mostra entusiasmo com a dexametasona: “Um avanço contra a covid-19”

OMS mostra entusiasmo com a dexametasona: “Um avanço contra a covid-19”

Mundo
A Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou, ontem, que a utilização do esteroide dexametasona, que reduziu significativamente a mortalidade em pacientes seriamente afetados pelo novo coronavírus, é um avanço científico na luta contra a pandemia de covid-19. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que se trata do primeiro tratamento comprovado que reduz a mortalidade em pacientes que apenas conseguem respirar com o uso de respiradores. "São boas notícias e congratulo o governo britânico, a Universidade de Oxford e os muitos hospitais e pacientes no Reino Unido que contribuíram para esse avanço científico capaz de salvar vidas". Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS, na sigla inglesa) vai começar a ut
OMS afirma que pessoas sem sintomas transmitem coronavírus

OMS afirma que pessoas sem sintomas transmitem coronavírus

Mundo
A OMS nega que tenha dado qualquer sinal de que esteja defendendo para a possibilidade de uma abertura mais rápida das economias, pede que quarentenas sejam mantidas como estratégia e rejeita a interpretação de que estudos tenham concluído de forma definitiva que pessoas sem sintomas não repassam o covoronavírus. Para a agência de Saúde, não existem dúvidas: pessoas assintomáticas também transmitem o coronavírus. O que não se sabe é qual a proporção dessas pessoas que, de fato, tem a capacidade de contaminar outras. A chefe da unidade de doenças emergentes da OMS, Maria Van Kerkhove, afirmou que algumas pesquisas indicam que pacientes assintomáticos têm poucas chances de transmitir a covid-19. Ela, porém, citava apenas um estudo de pequeno porte. Na manhã de terça-feira, o pre
OMS: Transmissão de Covid-19 por pacientes sem sintomas parece ser rara

OMS: Transmissão de Covid-19 por pacientes sem sintomas parece ser rara

Mundo
A chefe do programa de emergências da Organização Mundial de Saúde (OMS), Maria van Kerkhove, afirmou nesta segunda-feira (8) que a transmissão da Covid-19 por pacientes sem sintomas da doença parece ser "rara". Entretanto, ela ressaltou que há diferença entre assintomáticos e pré-sintomáticos, que são as pessoas que vão desenvolver algum sintoma da doença. Maria van Kerkhove fez a declaração durante pronunciamento no qual argumentava que a contenção da transmissão da Covid-19 pode ser mais rápida com a localização e o isolamento dos casos sintomáticos. A explicação de Maria durante entrevista no começo da tarde foi alvo de críticas e dúvidas. Horas depois, em seu perfil no Twitter, ela reforçou que há diferença entre pacientes assintomáticos e pré-sintomáticos. No docu