27 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade

Tag: meio ambiente

Tragédias no meio ambiente: deixar a boiada passar é a morte

Tragédias no meio ambiente: deixar a boiada passar é a morte

Blog, Marcelo Firmino
Governo nenhum no mundo deveria fechar os olhos à preservação do meio ambiente. As tragédias já rotineiras da mineração em Minas Gerais e em Alagoas com o crime da Braskem são provas reais que o descaso mata e sepulta vidas na lama, para a tristeza infinita de milhares de famílias. Lamentavelmente, em nome dos investidores do mercado que lucram bilhões de dólares com o sofrimento alheio, a cultura de tocar a boiada em frente é uma praxe antiga no Brasil. Toca a boiada, desmata-se a Amazônia para o agronegócio, para o garimpo ilegal em terras indígenas, para o contrabando de madeiras, com envolvimento direto até de ministro de Estado. Eles ganham; quem pode menos, morre. É a regra estabelecida. Toca-se a boiada para a mineração e vem o rompimento da barragem da Samarco (2
Com medo da PF, Salles pede ao STF para depor sobre corrupção ao amigo Augusto Aras

Com medo da PF, Salles pede ao STF para depor sobre corrupção ao amigo Augusto Aras

Blog, Brasil, Marcelo Firmino
E o ministro Ricardo Salles, o valentão investigado por corrupção no esquema criminoso do contrabando de mdeiras, está com medo de depor em dois inquéritos do Supremo Tribunal Federal (STF). Sales, o ministro do Meio Ambiente, pediu ao Supremo para só prestar depoimento ao amigo Procurador Geral da República, Augusto Aras. Isso por que a Polícia Federal quer fazer a oitiva dele nos casos em que foi denunciado por corrupção, onde consta que movimentou uma continha de R$ 1,7 milhão, após sua entrada no ministério. Do que tem medo agora o senhor Salles? O curioso é que nas esferas do governo há sempre um mais valente para dizer que quem tem medo de polícia é bandido. Se não é uma mera falácia, Salles então está em maus lençóis. A casa já caiu e o ministro parece estar vendo a
Flagrado pela PF como corrupto ministro Ricardo Salles toma chá de sumiço

Flagrado pela PF como corrupto ministro Ricardo Salles toma chá de sumiço

Blog, Marcelo Firmino
Bastou a Polícia Federal levantar a ponta do tapete do gabinete do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para ele sumir da vista de todos. A sujeira foi logo percebida pelo  delegado Franco Perazzoni, chefe da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros Antes, arrogante e prepotente, o ministro vivia anunciando agendas nas redes sociais e se apresentando como o todo poderoso rei da devastação ambiental no País. Mas, o corajoso de antes revelou-se o covarde de agora. Simplesmente tomou chá de sumiço. E não era para para menos. Afinal, a Polícia Federal tem contra ele um rosário de provas da corrupção no cargo de ministro, incluindo a movimentação de R$ 1,7 milhão, sem comprovação, após assumir o ministério. Salles é conhecido da justiça paulista como um a
Quando até a praia é privatizada com a conivência de autoridades é por que a boiada já passou

Quando até a praia é privatizada com a conivência de autoridades é por que a boiada já passou

Alagoas, Blog, Marcelo Firmino
Quando o ministro do Meio Ambiente, senhor Ricardo Salles, disse que o governo Bolsonaro tinha que aproveitar a pandemia para deixar passar a boiada não estava falando à toa. Estava a serviço do capital, da especulação imobiliária, dos devastadores costumeiros de áreas de florestas e da costa marítima. Se alguém duvidar dos atos desprezíveis em relação ao meio ambiente e ao patrimônio público, basta prestar a atenção nesta foto, em plena praia de Jacarecica, em Maceió, Alagoas. A faixa de praia está sendo ocupada por alguém que se diz proprietário dela. Ora, a praia sempre foi um bem de natureza pública. Agora tem dono... E isso aos olhos da fiscalização do Ministério Público que deveria estar atento para tamanha aberração. Não dar mais para falar nos órgãos fiscalizador
TRF1 ordena decisão imediata sobre afastamento de Salles

TRF1 ordena decisão imediata sobre afastamento de Salles

Justiça
O TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) ordenou que o juiz Márcio de França Moreira, substituto da 8ª Vara Federal do Distrito Federal, julgue imediatamente o pedido de afastamento do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, feito pelo MPF (Ministério Público Federal) em julho. A decisão foi tomada pelo desembargador federal Ney Bello, relator do processo contra Salles no TRF1. Anteriormente, o magistrado havia remetido a ação para a Justiça Federal de Santa Catarina, sob a alegação de que um processo com objeto semelhante já havia sido apresentado anteriormente no judiciário catarinense. A Procuradoria acusa Salles de cometer uma "desestruturação dolosa" da política ambiental em uma série de atos e medidas durante sua gestão à frente do Meio Ambiente, como a exoneração
STF dá 48 h para Salles se explicar sobre ação que acabou com proteção a manguezais

STF dá 48 h para Salles se explicar sobre ação que acabou com proteção a manguezais

Brasil
A ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), deu 48 horas para que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, explique a revogação de duas resoluções do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) que delimitavam as áreas de proteção permanente (APPs) de manguezais e de restingas do litoral brasileiro. "Diante da urgência qualificadora da tutela provisória requerida e da relevância do problema jurídico-constitucional posto, requisitem-se informações prévias ao ministro de Estado do Meio Ambiente, a serem prestadas no prazo de 48 horas. (...) As intimações devem ocorrer no formato eletrônico, a fim de que o prazo de 48 horas seja devidamente observado". Determinação da ministra. Anunciada na segunda-feira (28), a extinção das normas foi suspensa no dia seguinte após lim
Decisão de Salles que acabou com proteção a manguezais é suspensa pela Justiça

Decisão de Salles que acabou com proteção a manguezais é suspensa pela Justiça

Justiça
A Justiça Federal do Rio de Janeiro suspendeu nesta terça (29) a extinção de duas resoluções do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), presidido pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que delimitavam as áreas de proteção permanente (APPs) de manguezais e de restingas do litoral brasileiro. A liminar atende a uma ação popular movida pelos advogados Juliana Cruz Teixeira da Silva, Leonardo Nicolau Passos Marinho, Renata Miranda Porto e Rodrigo da Silva Roma contra a União e Salles. Eles argumentaram que a revogação das resoluções 302 e 303, ambas de 2002, "viola o direito constitucional a um meio ambiente ecologicamente equilibrado", assegurado no artigo 225 da Constituição, bem como a Política Nacional do Meio Ambiente traçada na lei nº 6.938/81 e o Código Florestal
Parlamentares querem que STF derrube decisão de Salles

Parlamentares querem que STF derrube decisão de Salles

Brasil
As decisões anunciadas nesta segunda-feira (29), pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), presidido pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, passaram a ser alvos de uma série de questionamentos judiciais assim que foram oficializadas, no início da tarde. A Rede Sustentabilidade entrou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF), com pedido para que seja declarada a inconstitucionalidade da nova resolução do Conama, de número 500. Essa nova resolução aprovou a extinção de duas resoluções que delimitam as áreas de proteção permanente (APPs) de manguezais e de restingas do litoral brasileiro, o que abre espaço para especulação imobiliária nas faixas de vegetação das praias e ocupação de áreas de mangues para produção de camarão. O Conama revogou ainda uma resolução
Governo Bolsonaro aprova o fim de restingas e manguezais no Conama

Governo Bolsonaro aprova o fim de restingas e manguezais no Conama

Política
Impressionante o nível de irresponsabilidade do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, com o próprio meio. Além dos desmontes provocados nos órgãos de fiscalização, como o Ibama, ainda atua com uma sanha destruidora muito peculiar aos tiranos. Pois hoje, segunda-feira, 28,  ele fez aprovar no Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) a devastação de manguezais e restingas brasileiras. Isso mesmo. As duas resoluções que protegiam áreas de preservação permanentes foram revogadas em reunião comandada pelo ministro, autor da proposta. Não foi por outra razão que o senhor Sales foi gravado em reunião este ano dizendo que era preciso aproveitar a pandemia para "passar a boiada" de aprovação de flexibilização de leis ambientais. Sales já havia reduzido o número de enti
Deputados vão sugerir a Maia votação de seis propostas da pauta ambiental

Deputados vão sugerir a Maia votação de seis propostas da pauta ambiental

Brasil
Em meio às notícias de queimadas e desmatamentos dos biomas brasileiros, deputados querem votar uma pauta ambientalista que dê um recado para a população brasileira e também para o mercado internacional. Pelo menos seis proposições poderão entrar no pacote a ser analisado. As sugestões são de grupo de trabalho criado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para analisar a chamada "pauta verde". Maia é um dos que acreditam que a Casa pode ajudar na recuperação da imagem do Brasil em relação ao meio ambiente. Recentemente, ele reconheceu que nos últimos meses a imagem do País na área ambiental tem sido negativa no exterior, o que tem dificultado o investimento externo. Leia mais: Fumaça do Pantanal se desloca para o Sul do país Queimadas no Pantanal fazem até mesmo Sa