26 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade

Tag: Rachadinha

‘Rachadinhas’ não racham Flávio Bolsonaro no STJ; só pés descalços

‘Rachadinhas’ não racham Flávio Bolsonaro no STJ; só pés descalços

Blog, Marcelo Firmino
A justiça tem lado e sabe escolher bem à base do vale quanto pesa. O caso das "rachadinhas" do senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ), agora anulado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), diz muito sobre essa realidade. Flávio foi denunciado em processo de corrupção por peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro pelo Ministério Público do Rio. Segundo a denúncia, ele desviava salários de funcionários durante os mandatos que teve como deputado estadual da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. O irmão dele, Carlos Bolsonaro, também foi acusado de manter a mesma prática na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Mas, agora o STJ diz que isso não é problema. Ou que talvez não seja nada e anulou os processos. O principal articulador para anulação do processo contra
Flávio Bolsonaro paga R$ 638 mil em dinheiro por apartamento e não lembra

Flávio Bolsonaro paga R$ 638 mil em dinheiro por apartamento e não lembra

Blog, Marcelo Firmino
O senador Flávio Bolsonaro (republicanos-RJ), filho do presidente Jair, agora parece que sofre de amnésia proposital. Segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro apurou, ele comprou 2 apartamentos em Copacabana e pagou por um deles, em 2012, R$ 638 mil em dinheiro vivo. Só que no depoimento ao MP, declarou que não se lembra de ter usado dinheiro em espécie na transação. Para os investigadores não restam dúvidas de que o dinheiro da compra saiu dos cofres da Assembleia Legislativa do Rio, via o esquema de "rachadinha", organizado pelo amigo e assessor Fabrício Queiroz. O chamado caso Queiroz cresce a cada dia e já não surpreende mais o envolvimento do senador e seus familiares no esquema de corrupção, que o ajudou a comprar uma série de imóveis no Rio. Pelas investigações
Depois da conta de Michele, Queiroz deposita na conta de Fernanda, mulher de Flávio

Depois da conta de Michele, Queiroz deposita na conta de Fernanda, mulher de Flávio

Blog, Marcelo Firmino
Réu confesso é coisa rara em qualquer processo. E em crimes de corrupção é praticamente um óvni. Imagine que Fabrício Queiroz, enquanto assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, depositou 21 cheques na conta da mulher do então deputado federal Jair Bolsonaro. É o que está no relatório processual do Ministério Público, conforme noticiário nacional. O dinheiro saiu exatamente dos cofres públicos, com origem nos cofres da Assembleia e que passou pelo processo de rachadinha no gabinete de Flávio, administrado pelo prestativo Queiroz, amigo da família toda. Nesse conluio financeiro se beneficiaram a mulher e as filhas de Queiroz, além da própria primeira dama do País, Michele Bolsonaro, que recebeu R$ 89 mil depositados em 21 cheques. Sobre isso f
De novo: Investigação de ‘rachadinha’ sobre Flávio Bolsonaro é suspensa

De novo: Investigação de ‘rachadinha’ sobre Flávio Bolsonaro é suspensa

Justiça
A desembargadora Suimei Cavalieri, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou nesta terça-feira (11) a interrupção da investigação sobre Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) atendendo a pedido da defesa do senador. A defesa do filho do presidente Jair Bolsonaro alegou que a apuração contra ele deveria ocorrer no Órgão Especial do TJ-RJ em razão do foro especial decorrente do cargo de deputado estadual que ocupava na época da suposta "rachadinha" ocorrida em seu gabinete. O Ministério Público do Rio de Janeiro terá de aguardar a decisão final da 3ª Câmara Criminal sobre o tema para continuar com a apuração. Flávio é investigado desde janeiro de 2018 sob a suspeita de recolher parte do salário de seus subordinados (prática chamada de "rachadinha") na Assembleia Legislativ
Após poupar miliciano, PF de Moro livra Flávio Bolsonaro de crimes

Após poupar miliciano, PF de Moro livra Flávio Bolsonaro de crimes

Brasil
Segundo a Polícia Federal, não há indícios de que o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) cometeu crimes de lavagem de dinheiro e de falsidade ideológica no inquérito eleitoral, que mira tanto as negociações de imóveis feitas pelo filho mais velho do presidente como a sua declaração de bens na eleição de 2018. Esta é a conclusão do relatório final da polícia sobre o caso, com previsão de ser entregue à Justiça nos próximos dias. Resultado esse que não bate com os elementos encontrados no inquérito do Ministério Público do Rio, que apura a prática de “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa. Ele foi deputado estadual de fevereiro de 2003 a janeiro de 2019. Na rachadinha, funcionários são coagidos a devolver parte de seus salários aos deputados. E seg
Câmara já discute ‘rachadinha’ como forma oficial para o fundo eleitoral

Câmara já discute ‘rachadinha’ como forma oficial para o fundo eleitoral

Política
As campanhas municipais de 2020 estão chegando cada vez mais perto e a busca pelo dinheiro público já atiça novamente o Congresso. E desta vez, líderes partidários na Câmara discutem a possibilidade de vitaminar o fundo eleitoral taxando em 3% os salários de todos os políticos do país e de seus respectivos assessores. A medida, com objetivo de reunir algo em torno de R$ 4 bilhões a cada dois anos, passando a valer possivelmente já para as eleições gerais de 2022, tornaria oficial, e com destinação carimbada para o financiamento eleitoral, uma prática que hoje é feita de forma escamoteada em alguns gabinetes: a rachadinha. Essa pratica se tornou mais conhecida com as investigações sobre deputados e assessores parlamentares do Rio de Janeiro, entre eles Fabrício Queiroz, amigo e es
Flávio é alvo de nova investigação do MP, agora por ‘funcionários fantasmas’

Flávio é alvo de nova investigação do MP, agora por ‘funcionários fantasmas’

Justiça
O Ministério Público do Rio abriu um novo inquérito para apurar a existência de "funcionários fantasmas" no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, senador, sem partido, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O novo inquérito contra o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi aberto em 23 de setembro, mas apenas nesta sexta-feira, 22 de novembro, o MPRJ confirmou a instauração do procedimento. Uma outra investigação em curso no MPRJ, mais antiga, apura a prática conhecida como "rachadinha", que consiste na devolução de salários por funcionários do gabinete, e foi aberta com base em relatórios do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), atual Unidade de Inteligência Financeira (UIF). A informação sobre o novo inquérito veio à ton