4 de dezembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Após falar em ‘frescura’ e ‘mimimi’, Bolsonaro ri de aumento do número de suicídios

Em mais uma live questionável, o presidente fez piada enquanto afirmava ter “acertado mais uma”

Pelo sexto dia seguido, o Brasil bateu o recorde de mortes nesta pandemia, registrando a mais alta média móvel de mortes por covid-19, de 1.361 por dia há uma semana.

Somente nesta quinta-feira (4), foram mais 1.786 novas mortes confirmadas. Gente que, segundo o presidente Jair Bolsonaro, estavam com ‘frescura’ e ‘mimimi’, assim como seus parentes. E em uma monstruosa sequência de fascismo, psicopatia e imoralidade, o presidente foi além em sua live semanal e brincou sobre “mais uma previsão que acertou”. Desta vez, sobre o aumento de suicídios.

“Fevereiro de 21… Pode sorrir, Tarcísio, pode sorrir, tem problema não. A coisa é séria, pessoal. Gazeta do Povo: ‘Depressão e suicídio entre jovens aumentam durante a pandemia. “Aí o pessoal fala que eu tinha bola de cristal, eu não tinha não, sou não só tão burro quanto aqueles que me criticam”. Jair Bolsonaro, rindo, ao lado de Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura.

Mentiroso compulsório

No mesmo dia, em Goiás, o presidente voltou a atacar a recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) para usar o isolamento social e chamou as determinações de fechamento de atividades não essenciais de “frescura” e “mimimi”.

Já na live, Bolsonaro mostrou uma reportagem de 2020 em que ele dizia que o isolamento poderia levar a suicídio e depressão e foi ele cair na risada, por “acertar mais uma”. Só que, claro, ele vem errando, e muito. Confira a série de merdas feitas e faladas pelo presidente neste período:

Discursos e ideias matam. E o presidente, que já possuía uma retórica caótica, manteve sua incoerente coerência durante toda a crise do novo coronavírus (fiquem atento aos links em cada um dos tópicos):

Diante de tantos exemplos de erros, equívocos e falas hediondas, temos apenas duas alternativas:

  • Bolsonaro tanto mentiu e manipulou que não pode mais voltar atrás. Mesmo ficando cada vez mais absurdas, conspiratórias e forçadas, ele não pode recuar de suas mentiras por causa de seu curral eleitoral. Seu gado acredita em todas as suas palavras e qualquer rachadura em seu discurso minaria a coisa mais importante para ele no momento: as eleições de 2022.
  • Bolsonaro realmente acha que está falando a verdade. Esta alternativa não é mais tão reconfortante. Como lidar com um sociopata que acredita nas próprias mentiras? Ou apenas mais um louco conspirador que realmente acredita no “foro de São Paulo” e nos males da vacinação. Também pode ser um idiota com mania de grandeza, garoto propaganda ideal do efeito Dunning–Kruger.

Independente destas duas alternativas, é preciso deixar claro: o que não faltou ao presidente foram informes, briefings, atualizações científicas, apelos de especialistas e comparações com casos de sucesso ou de fracasso.

Mesmo que ele seja um insano que ache estar falando a verdade, o dolo já está implícito. Se o indivíduo recebe um caminhão de orientações para não fazer algo errado e mesmo assim faz, a culpa é sua, pois aviso foi o que não faltou. Ou isso, ou indivíduo é um idiota que não deveria estar apto a tomar decisões e precisa ser retirado de onde está. Imediatamente.

É preciso dizer o óbvio: Bolsonaro fez, faz e vai continuar fazendo tudo de errado durante esta pandemia. Mas sabemos que lembrar isso é dar murro em ponta de faca: os obcecados que agem como audiência da Praça é Nossa durante suas falas e defendem seus ideais burros e mentirosos são uma prova de que discursos e ideais matam.